Orgulho e Preconceito

/
8 Comments

Pensei muito sobre qual livro resenharia primeiro para a estréia do blog, decidi que seria Orgulho e Preconceito da Jane Austen, esse livro tem uma história especial em minha vida e vou contar para vocês.
Tudo começou quando ainda estava no ensino médio - ok, não faz tanto tempo assim - uma amiga e eu que também adorava ler me indicou um filme chamado Orgulho e Preconceito, foi a versão de 2005 dirigido por Joe Wright, com Keira Knightley e Matthew Macfadyen nos papeis principais como Elizabeth e Darcy. Na época já tinha ouvido falar do livro mas ainda não havia lido. Quando minha amiga me contou a história simplesmente foi amor a primeira vista pois adoro romances de época. Não demorou muito, comprei o livro e foi a primeira vez de muitas que o li.




Pride and Prejudice é o título original em inglês do livro Orgulho e Preconceito da escritora britânica Jane Austen. Foi publicado pela primeira vez em 1813, mas foi concluído antes disso em 1797, antes de ela completar 21 anos de idade em Steventon, no condado de Hampshire, onde Jane morava com os pais.

Curiosidades:

Austen pode ter tido em mente o capítulo final do romance de Fanny Burney, Cecilia, chamado "Pride and Prejudice".

Atualmente, acredita-se que o livro tenha cerca de 20 milhões de cópias ao redor do mundo.

O título original da obra foi First Impressions mas nunca chegou a ser publicado sob esse título.

Em 2008, entre mais de 15.000 leitores australianos, Pride and Prejudice figurou como 1º em uma lista dos 101 melhores livros já escritos.




Tudo começa com a chegada de um jovem londrino chamado Mr. Bingley aluga a mansão Netherfield perto dos Bennet, junto com um grupo de jovens composto por seu melhor amigo Fitzwilliam Darcy, Carolina Bingley sua irmã mais nova e apaixonada por Darcy  e sua irmã mais velha e o marido o Mr. Hurst.
Os Bennet são uma família tradicional da região, composta por cinco filhas. A senhora Bennet logo manda seu marido ir visitar os novos vizinhos mas o que ela realmente intenciona é um casamento lucrativo para sua filha mais velha Jane, que é considerada a moça mais bela da redondeza. Bingley é bem receptivo  e todos gostam dele ao contrário de seu amigo Darcy, que é rotulado como arrogante.

A jovem Elizabeth é uma mulher a frente de seu tempo, destemida e perspicaz, acaba instigando um aparente odio por Darcy cujo a príncipio julga ser altamente arrogante e egoísta por conta  de sua classe social elevada. Mas só o tempo dirá se esse ódio é realmente o que se pensa ser.




Não tem como negar que Jane Austen é genial. Ela consegue demonstrar o valor de cada personagem de uma maneira tão simples que foge ao molde dos romances da época. O modo como representa a mulher mais autonoma que para o contexto da época era algo inpensável assim como um homem rico se apaixonar por uma garota pobre e conseguirem que seu amor se realize, superando todas as barreiras socio-economicas da época.


Curta também

Tecnologia do Blogger.